Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 +55 88 9 9475-7536

Encontre o que deseja

NO AR

SINTONIA SESC SENAC

    Mundo

Michael J. Fox doa R$ 90 milhões para pesquisas sobre Parkinson

Publicada em 27/02/19 as 16:42h por Só Notícia Boa - 43 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
 (Foto: The Michael J. Fox Foundation for Parkinson's Research)

No mesmo ano ele lançou a Fundação Michael J. Fox para a Pesquisa de Parkinson, a maior e mais aclamada organização sem fins lucrativos do mundo para a pesquisa e defesa de Parkinson, que em 19 anos financiou mais de US $ 800 milhões em pesquisas.

Desta vez, o dinheiro está sendo distribuído em 127 novos subsídios para vários projetos que buscam entender, tratar, diagnosticar e medir a progressão da doença.

Pesquisa promissora

Um dos projetos mais notáveis a receber parte do dinheiro é da Nova Zelândia, da Universidade de Auckland,  que está investigando a genética da doença de Parkinson “de um ângulo incomum e promissor”.

Mutações no gene conhecido como GBA – abreviação de beta-ácido glicocerebrosidase – são os fatores de risco genéticos mais comuns para o mal de Parkinson, afetando cerca de 10% dos mais de 6 milhões de pessoas com a doença.

O professor de ciência molecular Justin O’Sullivan e sua equipe do Instituto Liggins, da universidade, usarão uma poderosa ferramenta de mapeamento do genoma em 3D que eles desenvolveram para revelar as conexões do GBA com outros genes.

Eles acham que partes do gene podem estar agindo como “interruptores de DNA” e interrompendo o funcionamento de outros genes com os quais a GBA entra em contato pela maneira como o DNA é enrolado dentro das células.

“A maioria das pesquisas sobre o papel da GBA no Parkinson se concentra em saber se as mutações GBA dificultam a atividade de uma enzima específica, um membro da ‘equipe de limpeza’ que degrada partes de células danificadas ou excedentes”, diz O’Sullivan.

“Estamos chegando a isso de um ângulo totalmente diferente – estamos investigando se ‘interruptores’ dentro das mutações da GBA aumentam ou diminuem o funcionamento de outros genes com os quais eles entram em contato. Achamos que algumas das descobertas mais incomuns sobre o GBA podem ser explicadas se ele tiver conexões com outros genes.

“Se estivermos certos, identificaremos uma rede de genes de Parkinson inter-relacionados. Isso pode ajudar a avançar nos esforços de pesquisa para terapias e reunir conexões previamente confusas ou não reconhecidas ”.

“Para nós, esse subsídio é uma incrível oportunidade para investigar um distúrbio que tem um enorme impacto nas pessoas. Esperamos fazer insights que, em última análise, façam uma diferença real para os pacientes ”.

Com informações do GNN






ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário

Nossos Parceiros

 
 

Nosso Whatsapp

 +55 88 9 9475-7536

Visitas: 496019 |  Usuários Online: 71

Venha fazer parte da Rádio do Bem, junte-se a nós na missão de semear a Paz e o Bem pelo Planeta. - Todos os direitos reservados