Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 88 9 9475 7536

Encontre o que deseja

NO AR

RADIO SERENIDADE

    Brasil

Cientistas brasileiros detectam insuficiência cardíaca usando IA

Publicada em 29/12/23 as 11:36h por Só Notícia Boa - Vítor Guerra - 14 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
 (Foto: Freepik.)

Pesquisadores de universidades brasileiras desenvolveram um método para identificar insuficiência cardíaca que usa inteligência artificial (IA). Com apenas uma análise da voz dos pacientes, é possível identificar o distúrbio.

O algoritmo ‘Marcador de Vozes’ utiliza técnicas computacionais com um modelo matemático inspirado na estrutura neural de organismos inteligentes, semelhantes ao cérebro humano. Essas, por suas vez, reconhecem os padrões de voz e as distorções causadas pela insuficiência cardíaca em uma pessoa.

O invento foi desenvolvido entre uma parceria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e o Instituto do Coração da Universidade de São Paulo (Incor/USP). A equipe envolveu alunos e professores de engenharia e medicina.

Rede neural artificial

Foram criadas duas redes neurais artificiais no câmbio da pesquisa.

Uma do gênero masculino e outra feminino. O objetivo era fazer com que as duas reconhecem as distorções causadas pela insuficiência em uma pessoa.

Para isso, os pesquisadores coletaram com um gravador, vozes de 142 voluntários.

Depois, os dados coletados passaram por técnicas de processamento de sinais que detectam defeitos em equipamentos.

Nessa etapa, os pesquisadores querem extrair algumas características que sinalizem a condição de insuficiência cardíaca.

Insuficiência ou saudável?

Com os dados em mãos, era a hora de realizar os primeiros testes.

“Basicamente gravamos a voz do voluntário e aplicamos o ‘Marcador de Vozes’ para que responda ‘insuficiência cardíaca’ ou ‘saudável’, explica o professor do Centro de Ciências Médicas (CCM), Marcelo Dantas Tavares de Melo.

O resultado foi uma surpresa para toda a equipe.

O ‘Marcador de Vozes’ conseguiu resultados mais rápidos e mais precisos do que os métodos habituais.

A eficiência foi alta, acertando quase 92% dos diagnósticos positivos e negativos para o distúrbio.

O algoritmo também apresentou ótimos resultados em critérios como sensibilidade (88%) e especificidade (92%).

Não invasivo

Além disso, outra vantagem da tecnologia desenvolvida nas universidades públicas brasileiras é o fato de ser uma ferramenta não invasiva.

Por usar somente a voz humana em suas análises, a ferramenta é muito positiva.

“Uma vez popularizado, terá impacto imensurável, permitindo que este diagnóstico seja aferido de forma remota, na telemedicina. Na triagem de pacientes, a ferramenta poderá facilitar o direcionamento para centros de referência em cardiologia”, disse Marcelo.

Os pesquisadores usaram a voz dos pacientes para identificar a existência do distúrbio. Foto: Arquivo pessoal dos cientistas.

Os pesquisadores usaram a voz dos pacientes para identificar a existência do distúrbio. Foto: Arquivo pessoal dos cientistas.

Com informações de UFPB.

Espalhe notícia boa!





ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Nosso Whatsapp

 88 9 9475 7536

Visitas: 1386993 | Usuários Online: 4

Venha fazer parte da Rádio do Bem, junte-se a nós na missão de semear a Paz e o Bem pelo Planeta. - Todos os direitos reservados

Converse conosco pelo Whatsapp!